wasaki@wasaki.com.br +55 41 3082 8484
Qual a importância da manutenção ferroviária? - Wasaki Engenharia
 

Qual a importância da manutenção ferroviária?

Para viajar de férias ou a negócios, um ponto essencial é a verificação das condições do veículo antes de cair na estrada, afinal, a sua segurança e a da sua família estão em primeiro lugar.

Assim como em um carro particular, uma viagem segura depende dos cuidados com o funcionamento de qualquer tipo de veículo, seja no ar, no mar ou em terra. Do mesmo modo que o avião, o trem é um dos meios de transporte mais seguros do mundo, no entanto, sem veículos e trilhos de qualidade e manutenção regular, não há como manter a segurança no transporte ferroviário.

As ferrovias foram criadas na Inglaterra, no século XIX, e chegaram ao Brasil quando o país era colônia de Portugal, alcançando seu apogeu entre 1870 e 1930, devido à produção cafeeira, que utilizou as linhas férias para seu escoamento. Mais tarde, o uso das ferrovias foi diminuindo no Brasil, ao contrário do que aconteceu em outros países. O trem ainda é bastante utilizado na Europa e em países como China e Índia, enquanto a América Latina e a África, por exemplo, priorizaram as rodovias.

No entanto, o Brasil voltou a enxergar as vantagens desse meio de transporte na década de 90 e, atualmente, possui mais de 30 mil quilômetros de ferrovias – algumas de grande importância, principalmente no setor de cargas. Entre as vantagens das vias férreas, além da segurança, estão: comportar maior número de cargas e passageiros e ter um custo menor do que as rodovias, incluindo frete, combustível e manutenção. Também não há pedágios e nem risco de congestionamento.

Todos esses pontos positivos podem perder o valor se não houver manutenção adequada nas linhas férreas.

O trem necessita de perfeitas condições dos trilhos e dos veículos para cumprir o seu papel com eficiência e segurança. A importância da manutenção ferroviária está associada principalmente ao desgaste dos veículos e das linhas, por causa do uso constante.

Evitar o aparecimento do desgaste, que traz riscos e atrapalha as atividades na via férrea, é o objetivo do trabalho de manutenção e o principal motivo para que as empresas invistam nesses cuidados, evitando consertos nos trens e nas ferrovias, e, consequentemente, a paralisação das viagens, o que causaria um prejuízo maior.

A qualidade do transporte também inclui os cuidados com as balanças de precisão, que têm que ser reguladas periodicamente, já que é através delas que são avaliados os pesos das cargas e dos vagões suportados pelos trilhos. Há a operação estática, na qual os trens precisam estar parados, e a dinâmica, quando eles passam em movimento e a medição é realizada por computador. Em ambos os casos, a regulação da balança é essencial para não comprometer a segurança e a qualidade da atividade do transporte.

As empresas administradoras das linhas férreas devem adotar os cuidados de manutenção dos trilhos e dos trens corriqueiramente. O trabalho é desenvolvido por técnicos da área, que contam com a ajuda de várias tecnologias para consertar defeitos nas estruturas, caso sejam encontrados, provocados por desgastes motivados por constantes atritos.

São vários os tipos de desgaste que afetam os trilhos e que merecem total atenção dos técnicos: lateral, ondulatório, vertical e de boleto (parte superior da composição dos trilhos). As rodas precisam contar com uma superfície linear e estruturada, caso contrário, podem se deslocar, o que tornaria possível o descarrilamento do trem. A troca de alguns componentes, como porcas, parafusos e arruelas, deve ser feita regularmente.

Para realizar esse trabalho de manutenção, as administradoras de ferrovias necessitam de técnicos especializados.

A Wasaki Engenharia é uma empresa que oferece serviços de infraestrutura ferroviária, rodoviária e de construção, com mais de dez anos de atuação, e que se tornou referência na área. A empresa conta com uma equipe de profissionais multidisciplinar e desenvolve um trabalho reconhecido na chamada superestrutura ferroviária, segmento da via permanente – que é aquela que recebe diretamente os impactos da carga.

Saiba mais aqui.

Por Denise Vilar